Eco.Pós - Programa de Pós-Graduação da Escola de Comunicação da UFRJ - O Curso
 
 
 
// TESES E DISSERTAÇÕES
TESES DE DOUTORADO // TESES EM 2004
ALICE MARY MONTEIRO MAYER
Nos Limites da Comunicação e da Expressão: histórias possíveis... corpos urgentes
Orientadora: Priscila de Siqueira Kuperman
Resumo: Estudo sobre a inserção do corpo fenomenológico no enredo civilizatório da Globalização, a fim de efetuar um processo de verificação sobre a realidade semântica desta inserção. Reflexão estruturada em uma abordagem transdisciplinar, como forma de aproximação ao campo de estudos sobre os fenômenos comunicacionais, entendendo a Comunicação como embasadora dos processos sociais. A Fenomenologia foi utilizada como método, procedimento científico e, prioritariamente, como temática - atitude frente ao objeto de estudo. Por fim, a partir da tese de que este corpo necessita ser realocado em seu lugar de origem, que é a nossa própria existência, a Dança foi apresentada como instrumento na dialética “homem no mundo” e “para o mundo” - recurso lúcido para a redescoberta do corpo nas existências essenciais dos homens.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
ADRIANA ARAÚJO DE SOUZA E SILVA
Interfaces Móveis de Comunicação e Subjetividade Contemporânea: de ambientes de multiusuários como espaços (virtuais) a espaços (híbridos) como ambientes de multiusuários
Orientador: Paulo Roberto Gibaldi Vaz
Resumo: Esta Tese analisa a transição de espaços de sociabilidade e de comunicação do ciberespaço para os espaços híbridos. As tecnologias móveis de comunicação, principalmente os telefones celulares, são responsáveis pela produção de novas redes sociais em um espaço que interconecta o físico e o virtual, devido à mobilidade contínua de seus usuários. Durante a década passada, os ambientes de multiusuários no ciberespaço foram encarados como espaços utópicos nos quais os habitantes poderiam projetar seus imaginários. Além disso, os espaços digitais foram vistos como essencialmente desconectados dos espaços físicos. Hoje, a conexão constante a espaços virtuais, possibilitada pelas novas tecnologias de comunicação, transforma a sociabilidade e a produção do imaginário em espaços urbanos. Esta pesquisa é materializada através de estudos teóricos e práticos. Em primeiro lugar, desenvolve-se a análise de literatura sobre o ciberespaço e tecnologias móveis de comunicação, com ênfase nos conceitos de ‘virtual’, ‘ciberespaço’, ‘imersão’ e ‘híbrido’. Os aspectos práticos incluem análises de práticas atuais, através de entrevistas com pesquisadores e artistas, além de um questionário aplicado através da Internet nos Estados Unidos e no Brasil.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
ALINE VERÍSSIMO MONTEIRO
A Cultura Comunicacional: desafios e contribuições para a educação
Orientador: Márcio Tavares d"Amaral
Resumo: Este trabalho relaciona características da cultura comunicacional com teorias da área de educação que servem à formação dos educadores brasileiros. Por cultura comunicacional entendemos aquela engendrada pela revolução das tecnologias de comunicação informático-digitais. Nossa tese é a de que nesta cultura vigoram novos regimes e conceitos de tempo, comunicação e conhecimento que configuram um “pensamento comunicacional”, o qual precisa ser incluído na atuação e reflexão da área de educação. São eles, respectivamente: aceleração, interação e simulação. Duas hipóteses investigadas sustentam esta tese. Primeira, esses regimes e conceitos conferem nova importância e dimensão a atuação dos indivíduos e da aprendizagem na sociedade e no processo educacional. Segunda, teorias de educação que tenham suas bases em concepções de tempo, de comunicação e de conhecimento engendradas pela cultura moderna, anterior à revolução tecnológica, não atendem a esses novos papéis do indivíduo e da aprendizagem. É o caso da “epistemologia genética”de J. Piaget. A partir destas verificações, concluímos que não só as tecnologias de comunicação devem ser inseridas no universo educacional e escolar, mas também seus desdobramentos teóricos e conceituais; e apresentamos propostas de D. Bougnoux e P. Lévy que, com base em conceitos do pensamento comunicacional, servem à atuação e formação dos professores do século XXI.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
CRISTIANE HENRIQUES COSTA
Escritores Jornalistas no Brasil 1904/2004
Orientador: Muniz Sodré de Araujo Cabral
Resumo: O jornalismo, especialmente no Brasil, é um fator bom ou mau para a arte literária? Um século depois de João do Rio ter levantado esta questão numa enquete reproduzida no livro O momento literário, este trabalho refaz sua pesquisa, analisando como escritores jornalistas contemporâneos convivem com o mesmo dilema. A pergunta original de João do Rio é desdobrada em 13, que buscam identificar as condições de trabalho, objetivos e dilemas dos autores que continuam a procurar a imprensa como forma de garantir sobrevivência financeira, ganhar visibilidade ou mesmo ter acesso a um universo mais rico de experiências. A partir dos exemplos tirados da vida e obra dos principais escritores jornalistas brasileiros em quatro momentos literários, demonstra-se como as fronteiras entre real e ficcional foram erguidas e constantemente desafiadas ao longo dos últimos 100 anos.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
EDUARDO REFKALEFSKY
Estratégias de Comunicação e Posicionamento da Igreja Universal do Reino de Deus: um estudo do marketing religioso
Orientador: José Amaral Argolo
Resumo: Ter que fazer uma tese de doutoramento na incerteza de como será recebida e na insegurança quanto ao futuro da carreira é experiência traumática. Quando passei por ela, gostaria de ter tido alguma ajuda. É esta ajuda que ofereço [...]. No momento, não importa qual seja o tema de sua tese, procure encaixar em seu texto uma ou mais das seguintes palavras: olhar (as pessoas não vêem, opinam, comentam, analisam, elas têm um olhar); [...] desconstruir (desconstrua tudo); resgate (resgate também tudo o que for possível, história, memória, cultura, Deus e o diabo, mesmo que seja para desconstruir depois); [...] povos (sempre no plural, ‘os povos da floresta’, ‘os povos da rua’, no singular caiu de moda, lembra o populismo dos anos 60, só o Brizola usa) [...]. Atinja a perfeição: desconstrua, com novo olhar, os discursos negadores do multiculturalismo [...] não deixe que seu estilo se confunda com o de jornalistas ou outros leigos. Você deve transmitir a sensação de profundidade, isto é, não pode ser entendido por qualquer leitor. [...] Você não passará de um mero jornalista se disser: ‘os mendigos devem ter seus direitos respeitados’. Mas se revelará um autêntico cientista social se escrever: ‘o discurso multicultural, como ser desconstrutor da exclusão, postula o resgate da cidadania dos povos de rua’. Boa sorte” (José Murilo de Carvalho).
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
ELISÂNGELA CARLOSSO MACHADO MORTARI
Identidades Negociadas : o rádio e a construção simbólica da quarta colônia/RS
Orientador: Milton José Pinto
Resumo: Este trabalho trata das relações de produção, circulação e reconhecimento dos discursos sociais na região centro do Rio Grande do Sul, em comunidades de descendentes de imigrantes italianos. Em outras palavras, procura-se desenvolver uma prática de pesquisa que alie o olhar etnográfico, a interferência do pesquisador, a ação dos meios de comunicação, o desempenho dos sujeitos e a revisão conceitual dos estudos acerca das identidades. Para isso, avalia-se a memória construída pelos agentes autorizados, a produção discursiva de três programas de rádio, a reflexão dos discursos entre os sujeitos da Quarta Colônia e o processo de formação das redes identitárias. Com efeito, as relações dos meios de comunicação e das identidades culturais são articuladas através da construção simbólica do território e das atuações performáticas dos sujeitos. Assim, o trabalho desenvolve a idéia dos discursos aliada à experiência mutante de ser e de deixar de ser e de entrar e sair dos cenários culturais.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
FERNANDO ANTONIO MANSUR BARBOSA
Rádio - Um Veículo Subutilizado?... conversando sobre aspectos da comunicação radiofônica no Rio de Janeiro
Orientadora: Ilana Strozenberg
Resumo: Esta tese pretende traçar aspectos da história da comunicação radiofônica na cidade do Rio de Janeiro e mostrar as raízes e o crescimento do veículo a partir do relato de alguns personagens importantes que ajudaram a implantá-lo e a desenvolvê-lo no país. Aborda o surgimento e a expansão das emissoras em freqüência modulada, o declínio da AMs comerciais, a ocupação do dial de ondas médias por emissoras ditas religiosas, registrando ainda a importância do fenômeno das rádios livres ou comunitárias na discussão do quadro atual do rádio, este trabalho investiga a influência 17 do chamado “Jabá”- execução de músicas mediante pagamento – nas programações radiofônicas, além de apresentar sugestões e novas perspectivas para o veículo com o advento do rádio digital, levantando questões sobre uma suposta sub-utilização do meio mais democrático de comunicação no Brasil. Duas linhas principais foram seguidas: - A discussão do rádio como meio de comunicação com características próprias, situando- no contexto brasileiro. - A perspectiva histórica sobre o modo como esse veículo vem sendo utilizado no Brasil, enfocando a mudança gradativa de ênfase da dimensão política para a econômica, no quadro da lógica da Indústria Cultural. A tese privilegia, nessa interpretação, a visão dos comunicadores enquanto figuras definidoras na produção e difusão das mensagens radiofônicas, e procura resgatar alguns nomes importantes, mas esquecidos.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
GABRIEL COLLARES BARBOSA
Jornalismo, Espetáculo e Desvio: violência e criminalidade na imprensa através de estudos de caso
Orientadora: Ester Kosovski
Resumo: Esta Tese de Doutorado aborda a criação de mitos cujo comportamento desviante foi espetacularizado pela imprensa. Procuramos situar, principalmente, a questão do espetáculo e do desvio a partir de ampla e diversificada fundamentação teórica. O processo de construção de olimpianos desviantes cumpre dupla função: primeira, garantir mecanismos para sustentar, na economia de mercado, as empresas jornalísticas; segunda, sitiar as forças capazes de objetar o status quo. Como estudos de caso representativos do fenômeno de espetacularização, elegemos quatro personagens do mundo do crime — Lúcio Flávio, Hosmany Ramos, Leonardo Pareja e Fernando Dutra Pinto. Desta forma, podemos acompanhar o modus operandi da Indústria Cultural desde a década de 70. À guisa de consideração final, encontramos situações recorrentes como, por exemplo, o discurso antecipatório, a banalização da violência e a retórica do sensacionalismo. Além disso, cumpre registrar que os personagens dos estudos de caso alçados à categoria de olimpianos se tornaram vitimizadores e, ao mesmo tempo, vítimas. Abstract This work deals with the creation of mythical characters whose marginal behavior has been spectacled out by the Press. We tried to analyze the marginal behavior using a broad and varied range of theoretical basis. The construction of mythical deviant heroes fulfills a double function. First, in a free-market economy, it provides economical gain for Press Companies. Second, it besieges revolutionary forces. Our focus is on four criminal characters — Lúcio Flávio, Hosmany Ramos, Leonardo Pareja and Fernando Dutra Pinto — who are representative examples of the spetacularization phenomenon. Thus, we could track Cultural Industry"s modus operandi, during the seventies. Finally, we identified some recurrent devices, such as the beforehand discourse, trivial exposure of violence and the spetacularization rhetoric. Moreover, the study cases’ characters, who were launched to a hero status, became aggressors as well as victims of society.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
GUILHERME NERY ATEM
Comunicação, Trabalho Imaterial e Política: controle dos afetos e administração das semioses
Orientador: Henrique Antoun
Resumo: A partir de uma perspectiva genealógica como método de investigação, a pesquisa pretende demonstrar que a Contemporaneidade comunicacional é profundamente marcada pela produção de apatia política como forma de domesticação da coletividade, habituando-nos com os valores (afetos e signos) capitalistas. Nossa hipótese é a de que nesta época de Capitalismo Semiótico (imaterial e cognitivo), as potências revolucionárias da subjetividade são “capturadas e incorporadas” pelo Mercado-Total – revelando o que se pode chamar de uma “economia da atenção”. Nosso objeto de análise, que denominamos Semiocapitalismo de Controle, opera, via mídias de Massa e em Rede, pela modulação dos afetos, através da produção e circulação aceleradas e excessivas dos signos do capital. A compreensão das características ontológicas (Univocidade) e políticas (apatia) da Contemporaneidade comunicacional deve partir da análise de uma “semiótica intensiva dos afetos”, que constitui nossas potências e impotências de existir, assim como nosso devir.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
HUGO SILVA SANTOS JUNIOR
Brasil 500 Anos: rituais discursivos da nacionalidade
Orientador: Geraldo Luiz dos Reis Nunes
Resumo: Este trabalho analisa a interferência ocorrida no campo da identidade nacional brasileira a partir da implementação do Projeto Brasil 500 anos, empreendido pela Rede Globo de Televisão, entre os anos de 1998, 1999 e 2000 — período das celebrações desta Rede de Televisão, pelos 500 anos de descobrimento do Brasil. Procura-se mostrar quais foram as efetivas contribuições que a maior empresa de comunicação, de âmbito nacional, deixou para o reforço do sentimento de pertencimento a uma comunidade “imaginada” que denominamos de nação e para a construção/atualização da memória coletiva da História. Para isso, materializa-se a pesquisa a partir de três vertentes: a revisão bibliográfica, a construção e a produção de sentidos e a análise da recepção por parte dos “brasileiros”.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
JAIRO DA COSTA SANTIAGO
Mídia, tráfico e violência – do comércio à imagem
Orientadora: Raquel Paiva de Araujo Soares
Resumo: O tráfico de drogas no Rio de Janeiro tem implicações profundas na vida cotidiana daqueles que vivem nessa cidade. Como atividade comercial singular, em razão da tipicidade de sua mercadoria, implica em formas diferenciadas de relacionamento do homem com o território, tanto da favela, como da não- favela. Nos moldes de uma sociedade regida pela mídia, os atores sociais têm suas condutas, ritmos e formas de se relacionamento profundamente alterados pelo imperativo da imagem. A estética se torna um novo valor em sociedade e a esfera política é profundamente ancorada por esse novo valor. Demarca-se uma nova forma de existência do homem, um novo bios onde a mídia implica em um novo ordenamento das formas de se sentir , pensar e perceber o mundo. Do homem como técnica, constrói-se o homem como imagem e a essa como uma mediação humana. O jornalismo impresso, na figura do O GLOBO, atua no centro da discussão sobre a violência urbana oriunda do tráfico de drogas, produzindo discursos, falas e sínteses. Nesse sentido, atua na direção de unificar as formas de entendimento, refletindo a narrativa da classe dominante a respeito do tema, configurando-se como um novo espaço de difusão de hegemonia.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
JOÃO BAPTISTA DE ABREU JUNIOR
Rádio e Formação de Mentalidades: testemunha ocular da guerra psicológica na América Latina
Orientador: Geraldo Luiz dos Reis Nunes
Resumo: A tese mostra, a partir da análise do discurso radiofônico, o cenário de uma guerra psicológica travada durante a 2ª Guerra Mundial e a Guerra Fria pela hegemonia mundial. Faz um recorte histórico do jogo político da época, desde a atuação do Escritório de Negócios Inter-americanos do Departamento de Estado dos EUA, e levanta questões como a origem do mito de inferioridade presente em segmentos expressivos da sociedade latinoamericana, como pré-condição para assimilação de valores e padrões ideológicos, no aspecto político e de consumo. Com base no exame de conteúdo e da expressão de programas radiofônicos transmitidos por emissoras de grande abrangência, estações educativas voltadas para comunidades periféricas e rurais, e serviços de emissoras internacionais em língua portuguesa, a pesquisa estabelece um paralelo entre as mudanças de comportamento ocorridas no continente e os vínculos de identidade com o panamericanismo, expresso pela indústria de bens culturais, na qual o rádio se insere.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
LUCIANA FERREIRA DE ALMEIDA
Comunicação Mediada por Computador: ambientes virtuais imersivos na história dos dispositivos de produção de imagem
Orientador: Paulo Roberto Gibaldi Vaz
Resumo: A pesquisa procura identificar nos ambientes virtuais imersivos características gerais da Comunicação Mediada por Computador, destacando seu papel de artefato tecnológico transformador do pensamento contemporâneo. Para classificar e conceituar estes dispositivos é necessário enquadrá- los em uma história das técnicas de produção de imagem em paralelo a um história do conceito de representação. O conhecimento científico e a tecnologia produzem artefatos que por sua vez também modificam o pensamento e a produção científica e tecnológica da época em que são desenvolvidos - relação bastante evidente no caso da Computação Mediada por Computador. Esta relação circular entre objeto técnico e pensamento também pode ser destacada em outros momentos históricos: a Idade Clássica (modelo da Câmara Obscura) e a Modernidade (modelo do Panorama). Estes modelos, assim como o objeto contemporâneo desta pesquisa (os Ambientes Virtuais Imersivos), trazem à tona a relação entre representação e realidade e in fluenciam o pensamento que os gerou. Podemos assim identificar a imagem técnica como uma metáfora das imagens mentais de cada época, explicitando a articulação entre imagem e imaginário. Através desses dispositivos de produção de imagem, o que está em jogo é a posição do indivíduo no mundo - o que o sujeito conhece e de que modo conhece.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
LUCIANE LUCAS DOS SANTOS
Comunicação e Novas Tecnologias: mineração de dados e algoritmização do conhecimento
Orientadora: Ieda Tucherman
Resumo: O data mining - também conhecido como mineração ou garimpo de dados – tem se mostrado um conceito bastante inovador dentro do modelo preditivo que caracteriza a sociedade contemporânea. Apesar de constituir um tema de investigação bastante recente, a mineração de dados vem ganhando destaque tanto em pesquisas científicas como no mundo corporativo, por conta de uma proposta original: descobrir padrões ocultos em bases de dados, mapeando riscos, revelando nexos desconhecidos entre fatos e apontando tendências e predisposições. Como uma das etapas do KDD - Knowledge Discovery in Databases -, o data mining promete garimpar informações de valor estratégico em vários campos de conhecimento, incluindo aí o cenário de negócios. Especialmente neste último, ele não só rearticula o ethos da comunicação, como redefine os parâmetros de produção de sentido no contemporâneo. De um modo geral, o KDD se propõe a resolver dois tipos de problema: predição e descoberta de conhecimento. No primeiro caso, algoritmos indutivos analisam novos cenários a partir de parâmetros previamente definidos e exemplos conhecidos. Como resultado, pode-se prever o comportamento futuro de certas variáveis e atuar sobre elas preditivamente. No segundo caso, espera-se que o sistema venha a sugerir um novo olhar sobre o problema, uma vez que o ponto de partida é desconhecido pelo analista humano. É este segundo aspecto que a tese aborda. O trabalho correlaciona o KDD com a abdução, especialmente nas aplicações voltadas para a descoberta de conhecimento em sistemas inteligentes. Partese do conceito de abdução em Peirce, desenvolvido após 1900, segundo o qual só o raciocínio abdutivo pode gerar conhecimento novo. Esta tese procura 10 mostrar que já existe inferência abdutiva nos métodos de data mining e que, conceitualmente, é com este tipo de raciocínio que uma parte importante do KDD se identifica. Se hipóteses precisam ser validadas pela indução e se a verificação, pela experiência, permite predizer cenários futuros, é a abdução que dá início ao processo, quando o sistema examina uma massa de fatos em busca de uma teoria que os explique. Acreditamos que entender a abdução e suas possíveis aplicações em Inteligência Artificial pode ser um importante ponto de partida não só para lançar luz sobre os fenômenos da cognição, mas também para a simulação de heurísticas humanas em máquinas – condição tão cobiçada, mas ainda discutível, nos sistemas inteligentes.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
MARCOS VINÍCIO CUNHA NOGUEIRA
Comunicação em Música na Cultura Tecnológica: o ato da escuta e a semântica do entendimento musical
Orientador: Priscila de Siqueira Kuperman
Resumo: Neste trabalho procura-se entender o modo de interação comunicacional em música, a partir do desenvolvimento de uma teoria da metáfora voltada para o processo cognitivo musical no contexto das novas tecnologias. O estreitamento da diferença entre pensamento e conhecimento, na cultura pós-moderna, é a condição que possibilitou aqui se definir comunicação como interação em que se produz sentido. O procedimento empregado é a aplicação de uma semântica cognitiva das estruturas incorporadas e imaginativas do entendimento à formação do sentido em música e ao seu processo comunicacional. A hipótese central da pesquisa é a existência de uma estrutura abstrata pré-conceptual, originada de interações sensório-motoras, em torno da qual o sentido musical é organizado na forma de projeções metafóricas que, quando regulares, tornam-se comunicáveis. Assim, conclui-se que a música compensa a sua inabilidade em comunicação para a percepção com a comunicação da percepção propriamente.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
MARCELO KISCHINHEVSKY
Do Lábaro que Ostentas Estrelado: mídia, futebol e identidade
Orientador: Carlos Alberto Messeder Pereira
Resumo: Este trabalho se propõe a discutir a construção das identidades nacionais, regionais e locais por meio do discurso dos cronistas esportivos, no âmbito do exercício de rivalidades entre clubes e seleções nacionais de futebol. Para tanto, estabeleceremos uma divisão da história do futebol à luz da evolução da mídia: da primeira fase, que chamaremos clássica, na qual a mediação social era operada pelos jornais, à era do rádio, poderoso instrumento para a constituição de comunidades imaginadas e de afirmação de uma mitologia da brasilidade positiva, chegando por fim à era do espetáculo, marcada pela ligação do planeta via satélite, por meio da TV, e pela criação de um jet set esportivo mundializado. Trataremos ainda dos mecanismos da mediação social exercida em torno do futebol e das questões relacionadas à alteridade, uma vez que a violência supostamente motivada pelo esporte se apresenta como fator de crescente preocupação das autoridades e da sociedade civil.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
MARISTELA FITTIPALDI VIANNA DA SILVA
O Espetáculo da Ciência na Mídia: uma leitura ética
Orientador: Geraldo Luiz dos Reis Nunes
Resumo: Esta tese objetiva investigar, à luz de preceitos éticos, como a mídia impressa veicula temas científicos – especialmente na área da Medicina. A hipótese da autora é de que a maneira espetacular com que a imprensa leva ao público informações sobre ciência não só revela e reflete dificuldades na transformação do discurso científico em discurso jornalístico, mas também abre caminho para deslizes de natureza ética, dificultando a compreensão efetiva da ciência pelo público em geral. Para confirmar esta hipótese, o instrumento de trabalho é a análise de discurso de um caso de grande repercussão mundial nos meios de comunicação de massa: o anúncio da clonagem da ovelha Dolly. Por meio desta investigação discursiva e também de uma reflexão a respeito do pano de fundo que compõe o cenário de nosso tempo – a cisão entre os universos científico e filosófico, a midiatização da cena social, a mercantilização da vida – procura-se observar as possíveis causas e conseqüências daquilo que está sendo chamado de “espetáculo da ciência na mídia” e apontar caminhos de aperfeiçoamento para o Jornalismo Científico, a partir de uma releitura do conceito de notícia, elaborada a partir de uma nova concepção da ética.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
NINA VELASCO E CRUZ
Comunicação, Arte e Ciência: as experiências de Eduardo Kac e Christa Sommerer & Laurent Mignonneau
Orientadora: Kátia Valéria Maciel de Toledo
Resumo: A tese Comunicação, arte e ciência: as experiências de Eduardo Kac e Christa Sommerer & Laurent Mignonneau pretende mapear algumas questões surgidas a partir das relações entre arte, ciência e novas tecnologias na contemporaneidade por meio da análise das obras dos artistas Eduardo Kac e Christa Sommerer & Laurent Mignonneau. O novo paradigma da arte surgido com a utilização das novas tecnologias da comunicação e a imbricação cada vez maior entre arte e ciência são os pontos principais a serem elucidados por esta tese. Enquanto a obra de Eduardo Kac lida com a manipulação genética em suportes vivos reais, dando ao espectador a possibilidade de intervir neste processo através de meios interativos comunicacionais, Christa Sommerer & Laurent Mignonneau criam seres vivos virtuais através de programas de Vida Artificial fazendo com que a interatividade se torne um processo naturalizado por meio de interfaces “naturais” ou imersivas.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
PAULO FERNANDO DE CARVALHO LOPES
Negociando Sentidos, Articulando Lugares: o modelo semiológico-discursivo nas teorias da comunicação e do jornalismo
Orientador: Milton José Pinto
Resumo: No cenário contemporâneo, existe a emergência de novos paradigmas, teorias ou modelos que permitam outros modos de constituição e prática dos vários campos de produção de saberes na sociedade contemporânea. A crise e os reflexos dela afetam todas as áreas de conhecimento dentre elas a Comunicação. Tendo como pressuposto que a crise dos paradigmas afeta diretamente, no caso específico, a Comunicação e um dos seus campos, o Jornalismo, esta tese busca sistematizar uma teoria do jornalismo tendo a Semiologia dos Discursos Sociais como eixo constituidor da proposta. Parte-se do pressuposto que as teorias sobre o jornalismo, enquanto práticas discursivas, são produzidas, circulam e são consumidas sob a lógica de um mercado simbólico. Desta maneira elas negociam espaço e articulam sentidos na tentativa de conquistar a hegemonia.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
ROGÉRIO JOSÉ CÂMARA
Investigação Sobre Escrita: algumas relações entre escrita e imagem
Orientador: André e Souza Parente
Resumo: Investigação dos mecanismos construtivos da escrita, particularmente os princípios de suas operações topográficas código/superfície, procurando compreender o domínio sensorial do espaço, no qual ocorrem entrecruzamentos múltiplos de unidades que, contextualizadas, ganham dimensões semânticas. Toma-se como sentido de escrita todo sistema de imagens codificadas e diagramadas, que se concretize como linguagem e seja passível de leitura. Problematização das relações entre escrita e imagem considerando: 1) a produção de um novo espaço físico, visual e interpretável; 2) o ideograma: o caráter icônico e relacional da escrita e suas transcrições de imagens visuais e sonoras; 3) o diagrama: o confronto dos elementos, o jogo, a montagem.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
SARAH LEONORA GEIGER
-
-
SUELI MARIA DOS REIS SANTOS
-
-
TEREZA CRISTINA SCHEINER
Imagens do Não Lugar: comunicação e os novos patrimônios
Orientadora: Priscila de Siqueira Kuperman
Resumo: A Tese analisa as relações entre Comunicação e Patrimônio, no cruzamento entre modernidade e atualidade, privilegiando a constituição dos ‘novos patrimônios’, num ambiente sociocultural permeado pela mudança - a partir da idéia de que o fundamento do patrimonio é a imaterialidade. Utiliza uma abordagem transdisciplinar para explicitar as conexões entre memória, imaginação e criação – matrizes simbólicas dos processos culturais. Trabalha, ainda, a idéia de patrimônio enquanto máquina desejante e mecanismo de persistência da memória, abordando a sua inserção nas redes, como arquivo e fluxo de estruturas nomádicas de representação. Analisa as novas representações e práticas sociais relacionadas ao campo do patrimônio e sua influencia nas percepções existentes sobre o tema - a ponto de definir a seleção de traços, padrões e conjunto sígnicos que deverão constituir, no presente e para as próximas décadas, o quadro de referencias patrimoniais. Define o caráter essencialmente comunicacional do patrimônio e revela que os patrimônios se instituem e perpetuam no âmbito do discurso, pela enunciação e pela mostração. Explicita o caráter plural do patrimônio (não um, mas muitos) e propõe que seja atuado, no presente, como instancia de possibilidades, capaz de apoiar a constituição de um ‘ethos’ social voltado para melhores formas de convivência com a sociedade globalizada.
O AUTOR NÃO DISPONIBILIZOU O TRABALHO
YUJI GUSHIKEN
Noites-Máquinas: comunicação e subjetividade em festas rave
Orientadora: Ieda Tucherman
Resumo: O trabalho aborda as festas rave como fenômeno comunicacional e cultural numa âmbiência mais ampla que é a cultura jovem contemporânea. Parte-se da hipótese de que essas festas itinerantes da vida noturna funcionam como dispositivo de contração e dispersão de informações. Do ponto de vista comunicacional, o fenômeno é analisado em seus modos de articulação e desarticulação de linguagens. No plano da cultura, a característica itinerante das festas implica em pensar a relação multidão x espaço como modo de investimento em subjetividade. O objetivo do estudo é mostrar, a partir de raves, como especificidades culturais capturam e refazem linguagens nos interstícios de uma certa hegemonia civilizatória. Contemporâneas da Internet, as raves permitem perceber que as articulações de linguagem incorporam conceitos como os de nomadismo, hibridização cultural e culturas viajantes. A ênfase é nas relações do indivíduo com estratos sociais e – de forma mais ampla – com estratos ambientais. Entre o humano e o não-humano, estas são relações que evidenciam a produção de uma subjetividade maquínica. O método de investigação inclui uma arqueologia de discursos sobre o fenômeno dessa festa no mundo e, com base na herança etnográfica, cartografias de espaços rave na cidade de Cuiabá (Mato Grosso, Brasil). Este estudo, ao alinhar o objeto e suas problematizações teóricas pela abordagem da “comunicação como cultura”, investe no esgarçamento da comunicação como área do saber.
ARQUIVO PARA DOWNLOAD
Eco.Pós - Programa de Pós-Graduação da Escola de Comunicação da UFRJ - O Curso - Histórico
REVISTA ECO-PÓS
v.20, n.2 (2017)
Imagens do Presente
HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda a sexta-feira, das 11h às 15h.
Para maior agilidade de nossas respostas e processos, favor consultar este portal antes de fazer solicitações.
ENDEREÇO
Secretaria de Ensino de Pós-Graduação da Escola de
Comunicação da UFRJ.
Av. Pasteur nº 250 - fds, Urca, Rio de Janeiro.
CEP: 22290-240
TEL.: +55 (21) 3938-5075
UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro © 2014. Todos os direitos reservados