Eco.Pós - Programa de Pós-Graduação da Escola de Comunicação da UFRJ - O Curso
 
 
 
// EMENTÁRIO
MÍDIA E MEDIAÇÕESSOCIOCULTURAIS
TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E ESTÉTICAS
 
MÍDIA E MEDIAÇÕES SOCIOCULTURAIS
1. ESTRUTURA CURRICULAR:

As disciplinas do PPG estão divididas em três grupos:

1.1. Práticas Acadêmicas: Disciplinas de formação universal, direcionadas ao preparo dos estudantes para o exercício das atividades acadêmicas de pesquisa e docência. São disciplinas comuns às duas linhas de pesquisa, cursadas em turmas conjuntas, sendo algumas delas obrigatórias e outras eletivas. As disciplinas obrigatórias são oferecidas anualmente e incluem: as de formação teórica básica (mestrado), metodologia de pesquisa (mestrado) e de produção orientada (doutorado). Estão previstas sete disciplinas neste conjunto:

Mestrado: obrigatórias para o mestrado e comuns às duas linhas de pesquisa.
Doutorado: eletivas para o doutorado. Entretanto, a disciplina Problemas Teóricos da Comunicação é obrigatória para discentes do curso de doutorado que não obtiveram seu mestrado em comunicação.


•  PROBLEMAS TEÓRICOS DA COMUNICAÇÃO (1º período)
Estudo dos fundamentos conceitos, temas e autores constitutivos do campo da comunicação. As teorias da comunicação e os problemas da técnica, da ética, da política e da estética.

Bibliografia Básica:
COSTA LIMA, L. (org). Teoria da cultura de massa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
CURRAN, J.; GUREVITCH, M. (Eds.). Mass Media and Society. London: Oxford Un. Press, 2000.
FRANÇA, V.; HOHLFELDT, A.; MARTINO, L.C. (orgs.). Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.
GITLIN, T. Mídia sem limites: como a torrente de imagens e sons domina nossas vidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
KELLNER, D. A cultura da mídia: estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru, SP: EDUSC, 2001.
MATTELART, A.; MATTELART M. História das teorias da comunicação. São Paulo: Loyola, 1999.
SILVERSTONE, R. Por que estudar a mídia? São Paulo: Loyola, 2002.
SODRÉ, M.. Antropológica do Espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis: Vozes, 2002.


•  METODOLOGIA DE PESQUISA EM COMUNICAÇÃO (2º período)
O campo teórico da comunicação e as principais tendências na pesquisa atual. A articulação entre pressupostos teóricos, delimitação de objetos, formulação de hipóteses. Métodos e técnicas de pesquisa nas Ciências Sociais e Humanas e suas aplicações no campo da comunicação. O curso desenvolve-se de acordo com as temáticas dominantes nos projetos de pesquisa dos alunos inscritos.

Bibliografia Básica:
BACHELARD, G. A Epistemologia. São Paulo: Ed. 70, 2006.
BOURDIEU, P. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.
BRAGA, J. L. O problema da pesquisa – como começar, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Unisinos, disponível em: http://www.unisinos.br/principal/ > Mestrado/Doutorado >Alunos > Comunicação > Elabore seu Projeto.
FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.
KUHN, T. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.
LOPES, M. I. V. de (org.). Epistemologia da Comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

Doutorado: obrigatória e exclusiva


•  PRODUÇÃO ORIENTADA (3º período)
Estimular a produção científica discente. Participação em dois eventos nacionais ou internacionais com apresentação de trabalhos e publicação em anais; publicação de artigos em periódicos e/ou livros nacionais e/ou internacionais.

Bibliografia Básica: a ser definida de forma articulada com as pesquisas desenvolvidas pelos alunos.

Doutorado: eletivas e exclusivas


•  PRÁTICA DOCENTE ORIENTADA (obrigatória apenas para bolsistas)
Contribuir para a formação discente, com vistas ao desenvolvimento de competências relacionadas à docência em nível superior. Incentivar a integração entre pós-graduação e graduação. Proporcionar ao corpo discente o contato com as diversas etapas do processo pedagógico, desde o planejamento até a avaliação, tendo em vista a globalidade da experiência. A atividade será acompanhada e avaliada pelo orientador.

Bibliografia Básica: Variável em função da oferta.


•  SEMINÁRIO AVANÇADO EM COMUNICAÇÃO I
Seminário de caráter investigativo centrado em tema específico relacionado às pesquisas desenvolvidas pelo programa.

Bibliografia Básica: Variável em função da oferta.


•  SEMINÁRIO AVANÇADO EM COMUNICAÇÃO II
Seminário de caráter monográfico centrado em autor relevante relacionado às pesquisas desenvolvidas pelo programa.

Bibliografia Básica: Variável em função da oferta.


•  NOVOS PROBLEMAS EM TEORIA DA COMUNICAÇÃO
Estudo de teorias emergentes no campo dos estudos da comunicação e novas perspectivas de investigação sobre fenômenos comunicacionais.


Bibliografia Básica: Variável em função da oferta.

1.2. Campos Fundamentais: Disciplinas referentes aos campos fundamentais das investigações de cada linha de pesquisa. Semestralmente, cada linha deve oferecer pelo menos uma disciplina deste grupo. São cursadas em turmas conjuntas de alunos de mestrado e doutorado. São todas eletivas. O novo ementário prevê nove disciplinas deste tipo, quatro delas na linha Tecnologias da Comunicação e Estéticas; e cinco na linha Mídia e Mediações Socioculturais:


•  COMUNICAÇÃO E CULTURA
Análise da dinâmica cultural na sociedade contemporânea. Tensões entre comunicação, indústria cultural e projeto social. Investigação sobre a complexidade dos sistemas de comunicação no mundo contemporâneo.

Bibliografia Básica:
SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho. Petrópolis, Vozes, 2006.
EAGLETON, T. A idéia de cultura. São Paulo: Editora Unesp, 2005.
GOLDING, P.; FERGUSON, M. (orgs.). Cultural Studies in question. London: Sage, 1997.
LOPES, M. I. V. et al. (orgs). Vivendo com a telenovela: mediações, recepção, teleficcionalidade. São Paulo: Summus, 2002.
MARTIN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: Comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.


•  COMUNICAÇÃO E DISCURSO
As narrativas comunicacionais: processos de construção e especificidades discursivas. Narrativa e discurso. A intertextualidade como mediação. Linguagem como processo comunicacional. Organização dos sentidos. Contextualização e recontextualização do sentido. Configurações discursivas.

Bibliografia Básica:
BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
BARTHES, R. Mitologias. São Paulo: Difel, 1982.
LANDOWSKI, E. A sociedade refletida. Campinas: Pontes, 1995.
PINTO, M. J. Comunicação e discurso. São Paulo: HACKER, 1999.
VERÓN, E. Fragmentos de um tecido. São Leopoldo: Unisinos, 2004


•  COMUNICAÇÃO E SOCIEDADE
A compreensão do papel da comunicação na vida social nos espaços de aglomeração das sociedades contemporâneas e suas estratégias de sociabilidade. A dimensão das relações entre as redes sociotecnicas.

Bibliografia Básica:
ARENDT, H. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1993.
CAIAFA, J. Novo Século XXI: notas sobre arte, técnica e poderes. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2000.
DEBORD, G. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
HARDT, M. ; NEGRI, A. Império. Rio de Janeiro: Record, 2001.
SENNETT, R. O declínio do homem público. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.
VATTIMO, G. Sociedade Transparente. Lisboa: Relógio D’Água, 1992.


•  COMUNICAÇÃO E POLÍTICA
O papel dos meios de comunicação nos processos políticos democráticos e/ou autoritários. As responsabilidades sociais dos meios de comunicação. As estratégias midiáticas para o ganho político. Formas de controle dos meios pelo Estado e pela sociedade.

Bibliografia Básica:
BOBBIO, N. Estado, Governo e Sociedade. São Paulo: Paz & Terra, 2000.
COUTINHO, C. N. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.
IYENGAR, S.; McGRADY, J. Media Politics: a citizen’s guide. Stanford: W.W. Norton & Co: College Books, 2006.
LIMA, V. A. Mídia: teoria e política. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2012.
SOUSA SANTOS, B. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Cortez, 2006.


•  COMUNICAÇÃO E HISTÓRIA DO PENSAMENTO I
Comunicação e informação, sentido e verdade. A questão do Real na cultura contemporânea, seus modos de apropriação e a história da sua constituição problemática. As separações históricas entre opinião e verdade. As formas ocidentais do verdadeiro: filosofia, religião, arte e ciência. Uma cultura em trânsito entre moderno e contemporâneo: meios de comunicação, opinião e simulação.

Bibliografia Básica:
AMARAL, M. T. Comunicação e diferença. Rio de Janeiro: Ed. Ufrj, 2005.
FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1984.
HABERMAS, J. Discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
HEIDEGGER, M. Questions I e II. Paris: Gallimard, 1990.
HEIDEGGER, M. Chemins qui ne mènent nulle part. Paris : Gallimard, 1962.
NIETZSCHE, F. O crepúsculo dos ídolos. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.

1.3. Tópicos Especiais: Disciplinas onde são realizados estudos especializados sobre os temas que agregam reflexões importantes as pesquisas desenvolvidas em cada uma das linhas do programa. São cursadas em turmas conjuntas de alunos de mestrado e doutorado. São todas eletivas. A cada semestre, no mínimo duas das disciplinas que integram o ementário de cada linha de pesquisa devem ser oferecidas. São dezoito disciplinas referentes a tópicos especiais, oito na linha Tecnologias da Comunicação e Estéticas, dez na Linha de Mídia e Mediações Socioculturais:


•  COMUNICAÇÃO, IDENTIDADE E REPRESENTAÇÕES
Estudo teórico e/ou empírico das modalidades processuais nos meios de comunicação. Lógicas identitárias e meios de comunicação. Gênero, raça e representações. Multiculturalismo e interculturalidade. Categorias fundadoras e reconfigurações.

Bibliografia Básica:
CASTELLS, M. O Poder da Identidade. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura, v. 2. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.
DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.
HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1994.
KELLNER, D. A cultura da mídia: estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru, SÃO PAULO: EDUSC, 2001.


•  MÍDIA, MEMÓRIA E HISTÓRIA
Meios de comunicação como articuladores da memória social. Meios de comunicação como produto dos processos históricos. Concepções históricas e historiografia nos meios de comunicação. Memória e construção histórica.

Bibliografia Básica:
CAMPOS, M. C,; INDURSKY, F. Discurso, Memória, Identidade. Porto Alegre: Sagra-Luzzato, 2000.
COSTA, I. T. M.; ORRICO, E.G. Memória, Cultura e Sociedade. Rio de Janeiro: Ed. 7 Letras, 2003.
FERREIRA, L.M.;ORRICO, E.G. D. (orgs).Linguagem, Identidade e Memória Social: novas fronteiras, novas articulações. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
HUYSSEN, A. Seduzidos pela memória. Rio de Janeiro: Artiplano, 2000.
MOREIRA, S. V. Comunicação, Acontecimento e Memória. São Paulo: Intercom, 2005.
RIBEIRO, A. P. G.; FERREIRA, L. M. A. (orgs.). Mídia e Memória. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.


•  COMUNICAÇÃO E CONSUMO
Compreender a expansão e relevância do consumo na sociedade capitalista moderna, abordando as várias configurações históricas que possibilitaram a passagem de uma sociedade orientada para a produção a uma sociedade orientada para o consumo. Problematizar os discursos contemporâneos acerca do consumo e seus vínculos com questões de autonomia individual, responsabilidade e controle social. Refletir sobre o papel do fetichismo na subjetividade da sociedade de mercado e os desdobramentos das estratégias que lhe são afins no que se refere à organização social e ao espaço da nação.

Bibliografia Básica:
BAUMAN, Z. Vida de consumo. Buenos Aires: Fondo de Cultura Econômica, 2007.
CANCLINI, N. G. Consumidores e Cidadãos. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1995.
CANCLINI, N. G. La globalización imaginada. Buenos Aires: Paidós, 2001.
CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. 1. Artes de fazer. 6.ed. Petrópolis Vozes, 1994.
FEATHERSTONE, M. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.
FISKE, J. Understanding popular culture. London: Unwin Hyman, 1989.
VILLAÇA, N. A edição do corpo: tecnociência, artes e moda. Burueri: Estação das Letras, 2007.


•  COMUNICAÇÃO E EXPERIÊNCIAS URBANAS
Estudar as modalidades comunicativas no contexto urbano. Compreender a especificidade do fenômeno urbano e seu papel na contemporaneidade. Investigar a circulação da produção cultural e as redes simbólicas nas cidades contemporâneas. Distinguir e investigar produtos e linguagens midiáticas ligadas à vida urbana. Explorar o aspecto da produção de diversidade que caracteriza as cidades e seus desdobramentos em contextos específicos.

Bibliografia Básica:
CAIAFA, J. Aventura das cidades: ensaios e etnografias. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.
CANCLINI, N. G. Culturas Híbridas. São Paulo: Edusp, 1998.
HARVEY, D. Espaços de Esperança. São Paulo: Loyola, 2004.
HERSCHMANN, M. Lapa, cidade da música. Rio de Janeiro, Ed. Mauad X, 2007.
JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
ORTIZ, R. Um outro território. São Paulo: Olho d´ Água, 1999.
SARLO, B. Cenas da vida pós-moderna. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997


•  COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA, POPULAR E COMUNITÁRIA
Discussão sobre os produtos da mídia e a investigação sobre as formas alternativas de produção de estratégias de comunicação no horizonte das antigas e novas mídias. Integração crescente entre expressões informais, formais e alternativas. Formas alternativas e/ou marginais de produção e comunicação. Formas contra-hegemônicas de uso das novas tecnologias de informação.

Bibliografia Básica:
BHABHA, H. O Local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 2000.
ESPOSITO, R. Communitas. Paris: PUF, 2000.
GUATTARI, F. Caosmose. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2006.
HERSCHMANN, M. O funk e o hip-hop invadem a cena. Rio de Janeiro: UFRJ, 2000.
PAIVA, R. O Espírito Comum. Rio de Janeiro: Mauad, 2007.


•  COMUNICAÇÃO, NARRATIVIDADE E DISCURSOS
Análise das diferentes matrizes teóricas relativas à construção e compreensão dos sentidos comunicacionais. Métodos interpretativos. Especificidades da interpretação das narrativas midiáticas. Subjetividade e narratividade.

Bibliografia Básica:
BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1981.
BARTHES, R. Aventura semiológica. Lisboa: Edições 70, 19
ECO,U. Os limites da interpretação. São Paulo: Perspectiva, 1999.
MARTIN-BARBERO, J. De los médios a las mediaciones. Barcelona: Gustavo Gili, 1986.
MARTIN-BARBERO, J.; REY, G. Os exercícios do ver. São Paulo: Senac, 2001.
MORIN, E. Cultura de Massas no século XX. O espírito do tempo – I. Neurose. Rio de Janeiro: Forense, 1984.


•  COMUNICAÇÃO, ECONOMIA E POLÍTICA
Elementos conceituais e contextuais das práticas comunicacionais na sociedade contemporânea. Novas tendências na produção, distribuição e consumo da comunicação e da informação. A forma mercantil da comunicação e da informação: imprensa, radiodifusão, mídias eletrônicos, bases de dados e bibliotecas. O novo espaço público e as mídias digitais. Políticas de comunicação e Cidadania. Políticas de comunicação e estruturas sócio-econômicas. Políticas de comunicação e sistemas políticos. Economia política da comunicação e sociedade informacional. As novas formas digitais de exclusão social.

Bibliografia Básica:
CALABRESE, A.; SPARKS, C. Toward a Political Economy of Culture: capitalism and communication in the twenty-first century. Lanham, Maryland: Rowman & Littlefield Publishers, 2004.
GARNHAM, N. Capitalism and communication, global culture and the economics information. Londres: Sage, 1990.
GOLDING, P.; MURDOCK, G. (eds.). The Political Economy of the Media. Cheltenham, UK; Brookfield, US: The International Library of Studies in Media and Culture, v. I, 1997a.
GOLDING, P.; MURDOCK, G. (eds.). The Political Economy of the Media. Cheltenham, UK; Brookfield, US: The International Library of Studies in Media and Culture, v. II, 1997b.
MIÈGE, B. The Capitalization of cultural production. Nova Iorque: Internetional General, 1989.
MOSCO, V. The political economy of communication: rethinking and renewal. Londres: Sage, 1996.


•  COMUNICAÇÃO E ESTUDOS CULTURAIS
Elementos conceituais e contextuais dos estudos culturais e da recepção. A complexidade dos sistemas de comunicação atuais. Processos de construção de identidades. Recepção e processos de identificação. Tradições dos estudos de recepção. Aspectos metodológicos, etnografia e história de vida.

Bibliografia Básica:
CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994 [1980].
CEVASCO, M. E. Dez lições sobre estudos culturais. São Paulo: Boitempo, 2003.
DENNING, M. A cultura na era dos três mundos. São Paulo: Francis, 2005.
FREIRE FILHO, J. Reinvenções da resistência juvenil: os estudos culturais e as micropolíticas do cotidiano. Rio de Janeiro: Mauad, 2007.
KELLNER, D. A cultura da mídia – estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru, SP: EDUSC, 2001.
MATTELART, A.; NEVEU, É. Introdução aos estudos culturais. São Paulo: Parábola, 2004.


•  JORNALISMO E CONSTRUÇÃO DE SENTIDO
A relação entre mídia e experiência social cotidiana, as representações da realidade. Os processos de construção da informação jornalística em diferentes suportes e linguagens. Discursos e funções midiáticas como práticas sociais produtoras de sentidos. Produção versus recepção.

Bibliografia Básica:
BENETTI, M.; LAGO, C. Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.
CASTELLS, M. Mobile communication and society: a global perspective. London: The Mit Press, 2007.
FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: Editora UNB, 2001.
MARTÍN-BARBERO, J. Os exercícios do ver. São Paulo: Editora Senac, 2001.
MELO, J. M. Teoria do Jornalismo. São Paulo: Paulus, 2006.
TRAQUINA, N. O estudo do jornalismo no século XX. São Leopoldo RS: Editora Unisinos, 2003.


•  COMUNICAÇÃO E HISTÓRIA DO PENSAMENTO II
Os territórios problemáticos da cultura contemporânea. Verdade, simulação e diferença; real, discurso e referência; subjetivação, sofrimento e possibilidade. Os sistemas de pensamento, entre moderno e contemporâneo. Meios de comunicação, sentido e ética. Tempo, ser e devir.

Bibliografia Básica:
FOUCAULT, M. História da Sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2007.
HABERMAS, J. A inclusão do outro. São Paulo: Loyola. 2002.
HEIDEGGER, M. Ensaios e Conferências. Petrópolis: Vozes, 2002.
NIETZSCHE, F. A genealogia da moral. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.
TAYLOR, C. As fontes do self. São Paulo: Loyola, 1997.


2. CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA:

Mestrado: 360 hs/24 créditos: 6 disciplinas de 4 créditos, totalizando 360 horas.
Doutorado: 720hs/48 Créditos: 12 disciplinas de 4 créditos, totalizando 720 horas

Observações relevantes:
a) os alunos de doutorado poderão pedir isenção de apenas três disciplinas do curso, utilizando disciplinas já realizadas no mestrado;
b) carga horária das disciplinas será cumprida pelo corpo docente e discente, combinando aulas expositivas e estudos dirigidos;
c) os alunos de mestrado realizarão dois semestres de Pesquisa Dissertação e os de doutorado cinco semestres de Pesquisa Tese.


3. DISTRIBUIÇÃO DO EMENTÁRIO:


Eco.Pós - Programa de Pós-Graduação da Escola de Comunicação da UFRJ - O Curso - Histórico
REVISTA ECO-PÓS
v.20, n.2 (2017)
Imagens do Presente
HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda a sexta-feira, das 11h às 15h.
Para maior agilidade de nossas respostas e processos, favor consultar este portal antes de fazer solicitações.
ENDEREÇO
Secretaria de Ensino de Pós-Graduação da Escola de
Comunicação da UFRJ.
Av. Pasteur nº 250 - fds, Urca, Rio de Janeiro.
CEP: 22290-240
TEL.: +55 (21) 3938-5075
UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro © 2014. Todos os direitos reservados